26 de junho de 2018

Sobre pais e filhos separados

Quanto à cruel política adotada por Trump separando pais e filhos imigrantes, é importante esclarecer que não se trata apenas de medida determinada por um louco xenófobo e racista. É muito mais que isso:

Os africanos forçados à escravidão nos Estados Unidos eram frequentemente separados de seus filhos, não apenas durante o transporte até as Américas, mas muitas outras vezes, nas plataformas de leilão. Não foram milhares, e sim milhões de mães e pais, maridos e mulheres, pais e filhos, irmãos e irmãs separados uns dos outros à força. E tampouco se tratou de um período curto da história americana, mas de uma característica institucional da escravidão que perdurou nos EUA por quase 250 anos.

Não apenas as crianças africanas escravizadas eram rotineiramente separadas de suas famílias, mas também os povos indígenas. Do final do século XIX até os anos 1970, crianças indígenas eram regularmente retiradas de suas casas à força e enviadas a desumanas “escolas de índios”, onde seus cabelos eram cortados e onde eram despidos de seus nomes e culturas. Muitas delas nunca voltaram a encontrar suas famílias.

O que talvez seja mais chocante, no entanto, é o modo como os EUA – hoje, neste momento – separam tantas famílias cujas histórias não são consideradas dignas de nota. Falo da crise do encarceramento em massa, da qual a investida sobre os imigrantes é apenas mais uma peça terrível.

As palavras acima são de Shaun King, em artigo publicado pelo portal “The Intercept”, em 21/06/2018. Elas valem também para nós, que imitamos, inclusive, a prática de separar filhos e pais por meio de tiros disparados por policiais.

2 comentários:

  1. Já fiz publicações a respeito da separação recente de Trump na rede social, com o objetivo de levantar nos contatos o olhar crítico de que nem tudo são flores nos EUA. Irresponsabilidade dos pais e "fake" (fotos supostamente da China) foram as alegações em forma de resposta visando rechaçar críticas à política de Trump.
    Mesmo sabendo de fatos parecidos envolvendo índios e africanos em tempos idos, reforço: genial Shaun King, no reforço à crítica às políticas de Trump.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Salate. Valeu pelos comentários.
    Abração!

    ResponderExcluir