quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Tiririca sem preconceito

Com mais de 1 milhão e 350 mil votos, a eleição de Tiririca é um sinal grave. Mostra como a política está desmoralizada para grande parte do povo. Mas só é grave porque não há alternativa em formação. Não há conselhos e entidades populares, partidos enraizados para que a população possa atuar politicamente a partir de baixo e contra o sistema.

A eleição de Tiririca mostra que reina uma enorme despolitização. Mas muitos dos questionamentos a sua eleição estão contaminados por preconceitos. Estão baseados no fato de ele ser pouco letrado e ser de origem nordestina e pobre. Não é este o problema.

A eleição de Tiririca é o símbolo de um congresso dominado por mercadores. Gente que negocia favores para as empresas que financiaram suas campanhas. O mesmo vale para os governos em seus vários níveis. Uns mais, outros menos, todos se dobram ao que exigem os donos da riqueza.

Muito provavelmente, Tiririca terá uma atuação apagada no Congresso. Como tiveram outros campeões de voto do mesmo tipo, como Enéias e Clodovil. Só vai servir como um sintoma capaz de esconder a doença que é a democracia de fachada em que vivemos.

P.S. (ou P.P.): pelo que diz a grande imprensa, o 2º turno virou uma competição para ver quem se coloca contra o direito ao aborto de forma mais firme. Uma vitória inegável do conservadorismo.

3 comentários:

  1. Concordo. O que estão tentando fazer é um atentando contra a democracia que dizem existir no país. Corrigir o voto do povo no tapetão usando artifícios ridículos. E se livrarem do embaraço de terem um palhaço de verdade "legitimando" as mesmas palhaçadas que eles fazem.

    Rodney

    ResponderExcluir
  2. Ridícula essa discussão sobre o aborto. O povo brasileiro ainda vive até hoje num contexto mágico-religioso muito intenso, característica aliás do subdesenvolvimento. A igreja é contra o aborto, contra a camisinha, contra os homossexuais e quase ninguém contesta, com exceção dos homossexuais... "Santa" ignorância !

    ResponderExcluir
  3. Juliano, concordo com tudo o que você disse, menos com uma coisa: "quase ninguém contesta, com exceção dos homossexuais". Infelizmente, homossexuais também estão sujeitos a adotar idéias conservadoras. É uma batalha em que ninguém está livre de ser ganho pelos conservadores.
    Valeu pelo comentário.
    Abraço

    ResponderExcluir