quarta-feira, 17 de novembro de 2010

O cólera e a cólera no Haiti

As mortes por cólera no Haiti já ultrapassaram os mil casos.

Cena mostrada no Jornal das Dez, da Globo News, em 28/10/2010: uma equipe de autoridades sanitárias fazia testes nas águas de um córrego. Procuravam a origem do vírus causador da doença. Um caminhão tanque encostou e começou a despejar um líquido. As autoridades perguntaram o que era aquilo. O motorista disse que eram dejetos vindos de uma base de soldados da ONU do Nepal. Detalhe: o cólera que vem provocando tantas mortes no Haiti é típico do Nepal.

Em janeiro, um terremoto matou mais de 200 mil haitianos. As tropas da ONU agiram rapidamente. Mas para resgatar funcionários da própria ONU. É o que diz o professor de Antropologia da Unicamp, Omar Ribeiro Thomaz. Ele estava presente no país quando aconteceu a tragédia. Em seu relato, Thomaz diz que as tropas da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah) são chamadas de turistas pela população local.

A verdade é que a presença das tropas da ONU, lideradas pelo Exército brasileiro, só têm causado problemas e revolta entre os haitianos. Uma manifestação popular contra a Minustah deixou duas pessoas mortas e pelo menos 25 feridas na segunda-feira, dia 15. Se não estão causando o cólera, com certeza estão provocando a cólera popular.

Leia aqui o relato de Omar Ribeiro Thomaz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário