17 de novembro de 2017

Wilhelm Reich e o orgasmo do proletariado

O marxista alemão Wilhelm Reich sempre buscou entender porque o nazismo atraía grandes parcelas da classe trabalhadora. Sua leitura é mais do que nunca recomendável.

No livro em quadrinhos “Reich para principiantes”, de David Z. Maiorowitz e German Gonzales, descobrimos, por exemplo, que:

O que preocupa Reich não são apenas as ideias, mas também as emoções, que são determinadas por fatores sociais. Marx acreditava que o capitalismo pode determinar nossas ideias. A isto, Reich junta o inconsciente. A ideologia dominante pode mesmo chegar aos nossos impulsos, aos nossos sonhos...

Algumas propostas de Reich para o Partido Comunista Alemão:

- Não manipular ou persuadir as massas, ser concreto e direto.
- Politizar todos os aspectos triviais da vida diária: a discoteca, o cinema, a mercearia, o quarto, o bar, as corridas de cavalos – é aí que está a energia da revolução...
- Panfletos chatos, não, por favor!
- Heróis não. Mártires não. Conservem as vossas energias.
- Lembrem-se que os policiais são trabalhadores.
- Não se acovardem frente à autoridade. Imaginam o policial de cuecas!

Quanto ao aspecto sexual:

...muitos adolescentes entram para as organizações juvenis do Partido para encontrar um parceiro sexual, ou dois ou três. A moral oficial do Partido rejeita esta ideia. Resultado: os jovens vão-se embora, muitos deles para os Nazis. O Partido teria feito melhor se levasse em consideração suas vidas pessoais.

A estas ideias o partido respondeu censurando as publicações de Reich. Afinal, segundo uma resolução partidária, “não existem dificuldades de orgasmo no proletariado”.

Com concepções como estas, a conservadora direção dos comunistas alemães ajudou a abrir espaço ao pior conservadorismo.

Leia também: Psicologia de massas e capitalismo

Um comentário: