terça-feira, 6 de março de 2012

O governo petista, amigão dos grandões

Dois dados confirmam a vocação petista para agradar aos poderosos.

O primeiro é produto de levantamento feito pelo Sebrae com base em dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, do Ministério do Trabalho. Eles dizem que as micro e pequenas empresas puxaram a contratação de trabalhadores no início de 2012. Os empregadores com o máximo de quatro funcionários foram responsáveis por quase 86% dos empregos formais gerados no país no primeiro mês do ano.

O segundo diz que, em três anos, o BNDES liberou R$ 230 bilhões para incentivar a economia. Mas desse total, 65% foram destinados a grandes empresas, com taxas de juros parecidas com aquelas cobradas das pequenas. Embora as micro, pequenas e médias empresas respondam por quase 86% do volume de operações, as grandes corporações ficaram com cerca de R$ 150 bilhões, os tais 65% do total.

O governo justifica. Diz que as grandes empresas realizam investimentos estruturais importantes para a economia como um todo. Faz sentido. Mas só se concordarmos que a “economia como um todo” precisa continuar patrocinando uma das sociedades mais injustas do planeta.

Leia também: Dilma, ainda mais à direita

Nenhum comentário:

Postar um comentário