quarta-feira, 16 de maio de 2012

O esculacho das meias verdades

Dilma Rousseff instala hoje a chamada Comissão da Verdade, que investigará as violações dos direitos humanos ocorridos principalmente sob a ditadura instalada pelo golpe de 1964.

Militares saem das catacumbas para reclamar. Querem que a Comissão também apure os atos cometidos pelos que lutaram contra a ditadura. Escondem que eles mesmos já fizeram isso. Prenderam, torturaram, mataram centenas, sem julgamento ou em processos secretos.

Esses portadores de almas sujas não deveriam se preocupar. A tal comissão não foi criada para fazer justiça. É o que garante um de seus mais respeitados membros. Em 15/05, Paulo Sérgio Pinheiro afirmou ao jornal O Estado de S. Paulo que:

A comissão não acusa, não pronuncia nem julga, o que seria um despautério. A comissão seguirá o que está na lei e apresentará um relatório, ao fim de dois anos.

Pinheiro disse também que a Comissão respeitará a lei da Anistia em vigência. Aquela que foi feita pelos ditadores para perdoar seus próprios crimes. Diante disso, melhor priorizar outro tipo de atividade. É o que vem fazendo o Levante Popular da Juventude.

O movimento promove esculachos públicos de torturadores e agentes da repressão da ditadura. Já organizou protestos em São Paulo, Porto Alegre, Belo Horizonte, Fortaleza, Rio de Janeiro, Belém e Curitiba. Seu objetivo é desmascarar esses criminosos que circulam impunes pelas ruas.

A Comissão pretende identificar os crimes e as vítimas. Não, os carrascos e seus mandantes. Portanto, dela só podemos esperar meias verdades. O que também não deixa de ser um esculacho. Só que este é contra as vítimas, suas famílias e os lutadores em geral.

Leia também:
A podre lei da Anistia
Viva os mortos-vivos chilenos

Nenhum comentário:

Postar um comentário