quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Lênin e as revoluções: máximo respeito!

Em 30 de Setembro de 1906, Lênin publicou “Sobre a guerra de guerrilhas” no jornal “Proletário”. Eis alguns trechos:



A questão das ações de guerrilha interessa fortemente o nosso partido e a massa operária. Já tocamos repetidamente nesta questão de passagem, e agora pretendemos passar a uma exposição mais integral, já prometida, de nossas concepções.



(...)



...o marxismo distingue-se de todas as formas primitivas de socialismo pelo fato de ele não amarrar o movimento a qualquer forma determinada e única de luta.



(...)



Absolutamente hostil a todas as fórmulas abstratas, a todas as receitas doutrinárias, o marxismo exige uma atitude atenta em relação à luta de massas em curso, a qual, com o desenvolvimento do movimento, com o crescimento da consciência das massas, com a agudização das crises econômicas e políticas, gera métodos sempre novos e cada vez mais diversos de defesa e de ataque. Por isso o marxismo não renuncia absolutamente a nenhumas formas de luta.



(...)



Em diferentes momentos da evolução econômica, dependendo das diferentes condições políticas, nacionais, culturais, de vida, etc, diferentes formas de luta passam para primeiro plano, tornam-se as principais formas de luta, e, em ligação com isto, modificam-se também as formas secundárias, acessórias, de luta. Tentar responder sim ou não à questão da utilização de um determinado meio de luta, sem examinar detalhadamente a situação concreta do movimento dado no grau dado do seu desenvolvimento, significa abandonar completamente o terreno do marxismo.



Ou seja, Lênin somente se tornou a maior liderança da maior das revoluções graças ao profundo e mútuo respeito que estabeleceu com as lutas dos explorados e oprimidos.



Um comentário: