quinta-feira, 9 de abril de 2015

A terceirização do trabalho sujo dos neoliberais

A Câmara Federal aprovou o projeto de lei 4330, que “libera geral” a terceirização no país. Confirmada pelo Senado e pela presidenta, a medida representaria a maior derrota da classe trabalhadora desde o golpe de 1964.

As consequências seriam agravadas pela crise que se avizinha. Mas também pela enorme rotatividade do mercado de trabalho nacional. Condições perfeitas para que ocorra um tsunami de terceirizações, destruindo direitos e achatando ainda mais os salários.

Ainda que a iniciativa do projeto não tenha sido do governo, sua base parlamentar foi a principal responsável por sua proposição e aprovação. Em especial, o PMDB, partido a quem foi entregue a articulação política do governo na véspera da votação.

A bancada do partido do governo votou contra. Mas dizem as más línguas que o PT já teria terceirizado o governo antes mesmo da aprovação do PL 4330. Primeiro para o tucano Joaquim Levy, agora para o cacique peemedebista Michel Temer.

Mas o fato é que os petistas continuam a tomar suas próprias iniciativas. Afinal, o governo decretou duas medidas provisórias que atacam direitos sociais sem qualquer ajuda do PMDB.

Na verdade, um ciclo terrível parece se fechar. O governo Lula começou com uma reforma neoliberal típica. As mudanças na previdência dos servidores públicos fizeram o que Fernando Henrique nunca conseguiu. Agora, Dilma se depara com a reforma trabalhista sonhada pelos tucanos.

Em breve, poderemos saber se o governo atingiu o fundo do poço. Uma sanção presidencial do PL 4330 representaria a capitulação final do PT. E a comprovação de que os neoliberais conseguiram finalmente transferir completamente seu trabalho sujo para terceiros.

Leia também: E a maioria explorada mais uma vez se fode

Nenhum comentário:

Postar um comentário