quarta-feira, 11 de abril de 2012

A hegemonia nas bancas de jornais

Quer saber como funciona a hegemonia da burguesia? É só olhar para uma banca de jornal. Nas grandes cidades, elas estão espalhadas por todos os cantos. Carregadas de convites de adesão à ideologia dominante.

Experimente. É uma festa para os olhos. São dezenas de títulos em revistas, quadrinhos, manuais, livros de preço acessível e outras publicações. Também há CDs e filmes em DVD. Em geral, elas vendem até jornais.

Segundo a Câmara Brasileira do Livro, haveria cerca de 25 mil de bancas no País. As livrarias não passariam de 1.300. Nada contra. Os pontos de venda dos livros é que deveriam ser em número muito maior. Mas o fato é que para um povo que pouco lê, tantos pontos de venda nas grandes cidades chamam a atenção.

É uma aula de hegemonia da classe dominante. Há para todos os gostos: saúde, novelas, TV, filmes, moda, malhação, sexo, quadrinhos, games, esportes, estética, decoração, imóveis, automóveis, jardinagem  e até sociologia, filosofia e educação.

Claro que muito desse material tem qualidade. Não fosse assim, não venderia tanto. O problema é que a lógica geral é a da conservação da sociedade tal como ela está organizada.

Mesmo publicações tidas como alternativas estão mergulhadas e cercadas por valores preconceituosos, superficiais, simplificadores, alienantes.

Se você é de esquerda e quer derrubar o capitalismo, passe na banca mais próxima. Preste atenção. Pode ajudar a entender como a ideologia dominante se apropria dos vários anseios da existência humana. E como darmos nossas próprias respostas a eles.

Leia também: Ler não compensa, já o crime...

Nenhum comentário:

Postar um comentário