quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

O Estado de Bem Estar da Fiat

Achille Lollo publicou “Os golpes FIAT-Chrysler contra os italianos”, no jornal Brasil de Fato em 02/10. A matéria fala sobre negociatas entre as montadoras italiana e estadunidense citadas no título. Mas também revela outros dados interessantes.

Segundo Lollo, “o estado italiano, entre 1977 até 2012, investiu nas fábricas italianas da FIAT cerca de 7,6 bilhões de euros”. 

Seis meses antes, em 21/04, notícia publicada no jornal espanhol El País, tinha como título: “A crise ceifa vidas na Itália”. Referia-se aos suicídios diários de pequenos empresários e trabalhadores “sufocados pelas dívidas e pela falta de expectativa para vencer as dificuldades”.

Segundo a matéria, até aquele momento 146 mil empresas italianas haviam fechado as portas. Muitas delas eram pequenos empreendimentos.

A Itália costuma ser citada entre os países que exageraram na concessão de direitos a seus trabalhadores. Seria o chamado “Estado de Bem Estar Social”. Suas generosas aposentadorias e saúde e educação públicas de qualidade seriam responsáveis pelo acúmulo de dívidas governamentais impagáveis.

Mas como se vê pelas matérias acima, os verdadeiros beneficiários dos gastos públicos sempre foram monopólios como a Fiat. Dinheiro a fundo perdido voltado para o bem estar de gigantes empresariais.

Leia também: O instinto assassino do capitalismo

Nenhum comentário:

Postar um comentário