terça-feira, 31 de julho de 2012

Olimpíadas e machismo

Pela primeira vez na história das Olimpíadas, as mulheres competem em todas as modalidades. Outro fato inédito: todas as delegações enviaram competidoras. Mas o criador da versão moderna dos Jogos, Pierre de Coubertin, considerava a participação feminina algo "impraticável, desinteressante, antiestético e incorreto".

O machismo entre os membros do Comitê Olímpico internacional só não é maior que seu racismo. Na década de 50, por exemplo, tentaram impedir que mulheres negras participassem em provas de pista e campo. Segundo alguns dos membros do colegiado, elas pareciam hermafroditas.

A participação das mulheres nas Olimpíadas representa um desafio à autoridade masculina. Sua força, resistência e recusa a se dobrar aos padrões de beleza dominantes incomodam o machismo.

Basta olhar o caso de Caster Semenya, campeã mundial nos 800 metros em 2009. Ela teve que suportar todo tipo de acusações porque não se encaixa no que é considerado normal para um esportista do sexo feminino.

Essa divisão rígida entre os gêneros é algo que os Jogos Olímpicos acabam desafiando. Tudo indica que haverá cada vez mais atletas transexuais. A ideia de que meninos jogam num lugar e meninas em outro não é algo inerente à natureza humana. É uma imposição social.

Claro que sempre haverá tipos diferentes de atletas, mas nada obriga que o critério tenha que ser o de gênero. Por que não considerar a força, o peso, a agilidade? A divisão com base no sexo é arbitrária. E é mais uma forma de nos dividir e nos faz sentir diferentes uns das outros.


Leia também: Olimpíadas, racismo e direitos humanos

3 comentários:

  1. Olha; pelo que me lembro, a divisão entre sexos se dá pelo fato de que a estrutura corporal dos homens tende a ser mais potente do que a das mulheres. Há exceções, mas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem razão, Rodolfo. Mas como você mesmo diz, trata-se de uma tendência natural e o que nossa espécie vem fazendo mais é desobedecer, e até reverter, tendências naturais. E em alguns esportes, como futebol, em pouco tempo seria possível misturar os dois gêneros.
      Valeu o comentário.
      Abraço!

      Excluir