segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Grécia e Alemanha. Quem deve a quem?

Manifestação em Atenas
Os problemas econômicos do novo governo da Grécia giram em torno, principalmente, de um grande buraco negro. É a dívida pública do país, que representa o dobro de seu PIB.

Mas dívidas representam um problema para praticamente todos os países. Os Estados Unidos, por exemplo, são os maiores devedores do mundo. Só que ninguém é louco de cobrar.

Já a potência alemã, é uma grande credora. Principalmente, dos europeus e, em especial, dos gregos, a quem apertam como nunca. Mas a Alemanha também teve seus problemas graves com dívidas.

Para começar, no início dos anos 1950, o país dirigido por Angela Merkel devia quase 30 bilhões de marcos. Um acordo com seus credores reduziu o valor para menos da metade.

Por trás das negociações, a pressão americana, que temia a influência soviética sobre os derrotados da Segunda Guerra. De qualquer maneira, foi através da renegociação de sua dívida que a Alemanha arrancou para tornar-se a atual potência mundial. Entre os países que perdoaram os débitos alemães, estava a Grécia.

Mas a história começou antes disso. Nos anos 1940, ocupada pelos nazistas, a Grécia teve que emitir milhões em sua moeda nacional para que os invasores alemães financiassem seus esforços de guerra. Em troca, os alemães deixaram um documento em que se comprometiam devolver o montante. Compromisso jamais honrado.

Os alemães podem alegar que se trata de uma dívida ilegítima, contraída para arrasar a economia de países inteiros e eliminar milhões de vidas. Os gregos poderiam responder que o atual governo alemão já vem tentando fazer algo parecido, só que por outros meios.

Leia também:
Aprendendo a aprender com o Syriza
Capitalismo é dívida, paga pelos pobres

Nenhum comentário:

Postar um comentário