terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

O orgulho de ser gay e anticapitalista

Há filmes que surpreendem pela capacidade de nos deixar otimistas. “Orgulho” (“Pride”), de Matthew Warchus, é um deles. A trama é relativamente simples, mas envolve situações muito complexas.

Trata-se da história de um coletivo gay que decide apoiar trabalhadores em greve nos anos 1980, na Inglaterra. Mais especificamente, os mineiros que, em 1984, iniciaram uma paralisação que duraria dois anos.

O movimento grevista não envolvia apenas salários ou condições de trabalho. Seu maior objetivo era impedir que o neoliberalismo de Margareth Thatcher triunfasse, destruindo sindicatos e empregos.

O problema é que o preconceito impedia as lideranças dos mineiros de aceitar a ajuda dos ativistas homossexuais. A aliança somente se consolidaria em uma pequena cidade próxima a Londres. Lá também os gays foram recebidos com hostilidade. Mas contando com a ajuda das mulheres do lugarejo, conquistaram a tão necessária unidade de classe entre explorados e oprimidos.

As contradições são mais agudas porque os homossexuais também passavam por um momento terrível. As inúmeras mortes que a AIDS começava a causar eram comemoradas como manifestação do castigo divino pelos conservadores. Infelizmente, entre estes últimos também estavam muitos trabalhadores. Daí, a resistência de muitos gays em apoiar os grevistas.

O filme aborda, de modo direto e claro, o enorme desafio que é unir a luta contra a exploração com o combate à opressão. No caso desta produção baseada em fatos reais, o final é emocionante e capaz de enternecer até os mais amargos corações socialistas. 

O filme parece não ter marcado presença nos cinemas brasileiros. Mas vale a pena procurá-lo na internete. Dá orgulho de ser gente.

Leia também:
A onda conservadora não é evangélica

6 comentários:

  1. Xi! Se você ficou comovido com uma sinopse, vai se debulhar em lágrimas com o filme.
    Bejos

    ResponderExcluir
  2. Sérgio,
    Você sempre colaborando com nossa formação especialmente a formação de opinião.
    Abçs
    m. dos Anjos

    ResponderExcluir
  3. Sérgio,
    Você sempre colaborando com nossa formação especialmente a formação de opinião.
    Abçs
    m. dos Anjos

    ResponderExcluir