sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Apple e homofobia

A aposentadoria de Steve Jobs chamou a atenção do mundo. O fundador da Apple é considerado um gênio da tecnologia digital. Mas, não só. O empresário sabe tudo de mercado. A começar pela marca escolhida para sua companhia.

A famosa maçã mordida tornou-se ícone. Há várias versões sobre sua origem. Uma delas diz que é uma homenagem ao pai da física moderna, Isaac Newton. Outra versão afirma que se trata da maçã oferecida pela serpente a Eva. Motivou a expulsão do Paraíso, mas também abriu as portas da ciência para a humanidade.

Outra versão tem Alan Turing como homenageado. Nascido em 1912, em Londres, Turing era um gênio da matemática. Aos 25 anos, escreveu um artigo chamado "Sobre as Máquinas Computáveis". O estudo dizia ser possível criar uma máquina capaz de fazer cálculos altamente complexos. Era o rascunho dos atuais computadores.

Poucos anos depois, Turing entraria de cabeça na 2ª Guerra. Dedicou-se a decifrar os códigos de mensagens do inimigo. Criou o Colossus, antepassado dos atuais PCs. Graças a ele, os ingleses decifravam 50 mil mensagens por mês, em 1942.

O problema é que Turing era homossexual. Motivo pelo qual foi preso em 1952. Ajudara a derrotar o nazismo para ser vítima de preconceitos em seu próprio país. Foi condenado a tomar hormônios que deformaram seu corpo. Em junho de 1954, desesperado, matou-se, mordendo uma maçã cheia de veneno.

Improvável que tal história tenha inspirado Jobs. Mas, serve como denúncia. Continuamos a sofrer com as intolerâncias mais estúpidas e violentas. Muitas vezes, utilizando modernos aparelhos eletrônicos e redes virtuais para fazer suas vítimas.

Leia também:
Velhas intolerâncias atuais
CNBB e Forças Armadas contra a causa gay

Um comentário:

  1. Maçã cheia de veneno... hum... parece bela adormecida... Como se injeta veneno na maçã? Deve ser muito interessante...

    ResponderExcluir