quinta-feira, 20 de junho de 2013

Parabéns, porra! Por enquanto...

O recuo no reajuste das passagens dos transportes públicos é uma grande vitória popular. O maior mérito é do Movimento pelo Passe Livre (MPL), mas todas e todos que foram às ruas merecem comemorar. Dito isto, sobram muitos desafios e dúvidas aos que se dedicam à organização das lutas populares.

A decisão não foi o atendimento a um “clamor” popular. É uma tentativa de acalmar a ira do povo. Se conseguirão, ou em que medida conseguirão, é o que veremos nos próximos dias. E isto será fundamental no balanço destes 10 dias que abalaram as cidades brasileiras. Se as mobilizações continuarem, mas com menor força, a violência policial pode voltar com tudo. O nível de organização do movimento será capaz de resistir?

O problema não é somente a elevada dose de espontaneísmo das manifestações. Muitos dos milhões de pessoas que foram às ruas pelas Diretas e contra Collor também aderiram de forma espontânea. Mas ainda vivíamos um período de intensa mobilização popular iniciada pelas greves operárias do final dos anos 1970. Alguns partidos, sindicatos e várias entidades populares eram respeitados como instrumentos de luta.

Os atuais protestos, ao contrário, acontecem diante da justa descrença nas entidades populares em geral. O desafio é recolocá-las na luta ou construir novos instrumentos de combate. O valoroso MPL não pode ficar solitário.

Os acontecimentos do futuro próximo mostrarão se iniciamos um novo período de grandes lutas. Se, finalmente, os explorados e oprimidos estão dispostos a matar sua sede de justiça social. Ou se voltarão ao deserto conformista.

Enquanto isso, brindemos a esse breve momento de vitória. Parabéns, porra!

4 comentários:

  1. Parabéns mesmo, porra!!!! Abraços

    ResponderExcluir
  2. Gostei do desabafo do título. Agora, muito que aprender e penssar. Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Só não me agrada muito é um sectarismo "às avessas" com verdadeira proibição de bandeiras de partidos como o PSTU e PSOL. São os partidos entidades da sociedade também e temo uma guinada conservadora nisso tudo...

    ResponderExcluir
  4. É, Maurão. Os sinais não são nada bons. Acho que vem uma ressaca brava por aí!

    ResponderExcluir