quarta-feira, 25 de maio de 2011

Um governo derrotado antes de ser eleito

A Câmara dos Deputados aprovou ontem, 24/05, a reforma o Código Florestal. Uma vitória da bancada ruralista contra a preservação ambiental. A decisão contou com o apoio de grande parte da bancada governista. Entre eles, 45 dos 80 petistas. Logo depois, foi aprovada a concessão de anistia aos produtores que desmataram Áreas de Preservação Permanente às margens de rios e encostas até 2008.

No mesmo dia foram assassinados José Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo. O casal lutava contra a devastação florestal e a exploração ilegal de madeira em Maçaranduba, no Pará. As mortes foram anunciadas durante a votação do Código Florestal, na Câmara. Segundo o jornal Valor, foi recebida por vaias que vinham das galerias e também de alguns deputados ruralistas.

Ainda no dia 24/05, o governo decidiu suspender a produção do kit contra a homofobia. O material seria distribuído pelo MEC nas escolas públicas. Segundo a imprensa, a decisão foi tomada depois que deputados religiosos ameaçaram apoiar propostas que prejudicariam o governo. Entre elas, a convocação do ministro Palocci, sob suspeita de enriquecimento ilícito.

Nada disso deveria surpreender. Durante a campanha eleitoral, Dilma foi alvo de ataques da extrema direita. Entre outras coisas, era acusada de ser a favor do casamento gay e do aborto. A campanha petista respondeu com medrosos desmentidos. Recuos vergonhosos em relação ao combate à homofobia e aos direitos das mulheres.

Tudo indica que novas vitórias virão. E serão dos conservadores dentro e fora do governo. Resta aos combatentes populares buscar a independência. Menos luto e mais luta.

Leia também: Apertem os cintos, o pelego pediu

Nenhum comentário:

Postar um comentário