sexta-feira, 6 de maio de 2011

União gay, homofobia e democracia

O Supremo Tribunal Federal aprovou o direito à união homoafetiva. Ótimo!

A chance de um homossexual ser assassinado no Brasil é 785% maior que nos Estados Unidos. Lamentável!

Mesmo assim, a lei de combate à homofobia enfrenta dificuldades para ser votada no Congresso.

Alguém poderia dizer que o direito à união gay é “perfumaria” perto da tragédia nacional que é a violência contra homossexuais. Não é bem assim. Apesar de tudo, foi uma vitória importante.

Mas, o fato é que nossas lutas não podem ficar dependendo das instituições que estão aí. Os onze figurões que vestem camisolas pretas no STF já cometeram muitas injustiças. E a pressão das ruas já obrigou os muitos picaretas do Congresso a engolir várias conquistas.

A verdade é que a política tem que ser feita nos bairros, locais de trabalho, escolas. Em conselhos e comitês populares. Envolvendo o conjunto das lutas dos explorados e perseguidos.

Precisamos esvaziar o poder dos parlamentos oficiais e das altas cortes. Eles foram feitos para ficar isolados do povo e íntimos dos poderosos.

Leia também: Carta à Roma Antiga

Nenhum comentário:

Postar um comentário