sexta-feira, 16 de março de 2012

Steve Jobs prova a atualidade de Marx

“Novo iPad provoca filas pelo mundo”, dizem alguns jornais. É mais um produto da empresa que era presidida pelo falecido Steve Jobs. O detalhe é que a presença na fila não é obrigatória para adquirir o aparelho. As pessoas estão nela por devoção, mesmo.

Deve ser por isso que a jornalista Carla Rodrigues afirmou o seguinte:
Ninguém melhor do que Steve Jobs compreendeu o conceito de fetichismo de Marx, segundo o qual as relações sociais são mediatizadas pelos objetos (Valor - 20/01/2012).
Ainda a respeito de filas, a psicóloga Isleide Fontenelle diz em seu livro:
Até a inovação efetuada pelos irmãos McDonald, em 1948, a existência da fila para adquirir comida só parecia estar presente em guerras, prisões ou situações de privação que levassem alguém a conseguir comida por meio de atos de caridade (“O Nome da Marca - McDonald's, Fetichismo e Cultura Descartável” - Boitempo, 2002).
Em 14/03, completaram-se 129 anos da morte de Marx. Desde então, o capitalismo vem provando que ele estava certo em muitas de suas conclusões. É como disse Jean-Paul Sartre, com algum exagero: “não é minha culpa se a realidade é marxista”. O mesmo Sartre também diria:
...o marxismo é uma descrição verdadeira de um homem inteiramente falso, de um homem falseado pelas próprias premissas de suas técnicas e de suas necessidades.
O que viria a ser verdadeira essência do ser humano para Sartre é outra questão. Mas não deve ter nada a ver com a permanência em filas sem objetivo algum.

De qualquer maneira, esse beco sem saída é produto da ação humana. Como tal, só pode ser superada pela própria ação humana. É por isso que Engels, no funeral de seu parceiro, disse:
Marx era antes de tudo revolucionário. Contribuir, de um ou outro modo, com a queda da sociedade capitalista e de suas instituições estatais, contribuir com a emancipação do moderno proletariado, que primeiramente devia tomar consciência de sua posição e de seus anseios, consciência das condições de sua emancipação – essa era sua verdadeira missão em vida.
Ou é isso, ou é procurar um lugar na fila. Que, aliás, também costumam ser frequentes em matadouros.

Leia também:
Banqueiro elogia Marx por motivos errados
Steve Jobs e a moderna maldição humana

2 comentários:

  1. Artigos como esse revelam o motivo de ser esse um dos 3 blogs que não posso deixar de ler; meu facebook está cheio de compartilhamentos daqui.

    ResponderExcluir
  2. Comentários como o seu, Rodolfo, é que me fazem manter o blog. Muito obrigado!

    ResponderExcluir