segunda-feira, 26 de maio de 2014

Números para todos os desgostos

Números podem ser recolhidos, combinados e arranjados de várias formas. Mas, principalmente, podem ser sintomáticos.

Em 19/05, a presidenta Dilma lançou o que foi anunciado como “o maior Plano Safra da história do país”. Trata-se de um programa que financia o agronegócio. Foram R$ 156 bilhões em investimentos.

Enquanto isso, a verba governamental para a agricultura familiar é de apenas R$ 21 bilhões. E o Ministério do Desenvolvimento Agrário, responsável pela Reforma Agrária, tem um orçamento de R$ 4,8 bilhões.

Em 20/05, os jornais divulgaram que o TCU estima em R$ 203 bilhões as perdas do Tesouro Federal em isenções fiscais para grandes empresas, como as automobilísticas.

A revista Forbes informa que o patrimônio das 15 famílias mais ricas do Brasil é dez vezes maior que a renda de 14 milhões de grupos familiares atendidos pelo programa Bolsa Família.

A página eletrônica do Partido da Causa Operária lembra alguns dados do censo do IBGE de 2010:

...mais de 115 milhões de brasileiros, quase 60% da população brasileira, vive com menos de um salário mínimo de renda mensal per capita. Cerca de 50 milhões de pessoas vivem com até meio-salário mínimo de renda mensal. Outras 16,2 milhões de pessoas vivem com menos de R$ 70 por mês e quase cinco milhões de pessoas não têm renda alguma.

Por fim, a Copa do Mundo de Futebol custará o triplo do que o governo federal planeja gastar nas obras de transposição do rio São Francisco.

Ainda sobre a Copa e arredores: ingresso para a Abertura, R$ 990. Ingresso para a Final: R$ 1.980. Salário Mínimo: R$ 724.

Nenhum comentário:

Postar um comentário