quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Sinais de uma crise muito possível

  Bira Dantas
“O Brasil à beira de uma nova crise externa?”, pergunta editorial da revista Retrato do Brasil, publicado em 30/07. O texto traz alguns sinais muito preocupantes em relação à nossa situação a econômica.

O artigo relaciona o saldo negativo das transações correntes do País à ocorrência de crises econômicas. A primeira delas teria sido a de 1982, quando o déficit ficou em 6%. Outra grave crise ocorreu em 1998 e o saldo era 4,3% negativo. Atualmente, estamos com 3,47% de déficit.

Em quase 12 anos de governos petistas, diz o artigo, o rombo total ultrapassou os 300 bilhões de dólares. O saldo foi positivo em mais de 40 bilhões de dólares entre 2005 e 2007. Em 2013, caiu para 2,5 bilhões de dólares negativos.

A desindustrialização tem papel importante nessa conta. Apenas com o aluguel de equipamentos como sondas para exploração de petróleo, modernas retroescavadeiras e colheitadeiras, por exemplo, o País vai gastar 19 bilhões de dólares. O valor equivale a quase oito vezes o saldo comercial esperado para 2014.

Quanto às supostas enormes reservas monetárias do País, elas podem desaparecer se houver um novo “grande ajuste das finanças internacionais”. O volume atual está em 380 bilhões de dólares. Mas entre julho e dezembro de 2008, momento agudo da crise mundial, deixaram o País 347 bilhões. E de junho a setembro de 2011, foram embora 226 bilhões.

Se estes números servirem como aviso, a resposta à pergunta do artigo é perigosamente afirmativa. A oposição de direita dirá que é culpa de um governo intervencionista e desastroso. Desastroso, sim, mas porque se manteve preso à lógica neoliberal.



Nenhum comentário:

Postar um comentário