quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Crimes de Lula. Mais provas

Em novembro de 2006, Lula afirmou que a questão indígena estava entre os entraves ao desenvolvimento nacional.

Esta visão se traduziu em uma política de enorme desprezo pelas causas indígenas. Quanto à homologação de suas terras, por exemplo, os governos petistas perderam para os dos tucanos pelo placar de 84 a 148, segundo a Fundação Nacional do Índio.

O outro lado dessa política foi a entrega e destruição de territórios indígenas por grandes projetos como Belo Monte e o Complexo Tapajós. Obras que faziam parte do Programa de Aceleração de Crescimento, utilizado fartamente por Lula para eleger sua sucessora.

Mas o mais grave são os seguintes números divulgados pelo Conselho Indigenista Missionário:

...foram registrados 167 assassinatos de indígenas no governo FHC, média de 20,8 mortes por ano. Já no governo Lula o número subiu para 452 assassinatos, 56,5 em média por ano, ou crescimento de 271%. Em 2011, o primeiro ano do governo Dilma, foram contabilizados 51 assassinatos de indígenas pelo CIMI e em 2012 outras 57 mortes, de acordo com a Comissão Pastoral da Terra (CPT), média de 54 mortes por ano, próxima à do governo Lula e 260% maior do que a do governo tucano.

Esses dados vergonhosos são produto direto da aposta dos governos petistas no complexo empresarial “agro-minerador” dominado pelos gigantes do setor.

São crimes como esses que Lula realmente cometeu enquanto ocupou ou frequentou o Palácio do Planalto. É por eles que deveria responder. São eles que devemos lembrar para que a luta pela derrubada de Temer jamais se confunda com mobilizações pela volta do PT ao poder.

Leia também: Crimes de Lula. Com provas

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Valeu, Marião. Sempre bom receber o apoio frequente de alguém que foi minha primeira referência de militância polítiica, ao lado do Fuser. Mais do que isso, ambos continuam do lado bom da luta.

      Excluir