quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

A opressão pornográfica do Capital

Em 18/01, Francisco Daudt abordou, na Folha, o esdrúxulo projeto-de-lei contra a masturbação e a pornografia proposto por um deputado federal do DEM-SP.

Segundo o colunista, o prazer sexual solitário é “uma grande professora de independência e autonomia”. Daí, não ser surpresa que aqueles que queiram “controlar as pessoas” também queiram “controlar a masturbação”.

Faltou dizer que a proposta do parlamentar se opõe somente à pornografia gratuita. Ou seja, muito provavelmente a iniciativa envolve interesses mercadológicos nada pudicos.

Por isso mesmo, seria bom colocar Herbert Marcuse nessa conversa. Foi isso que fez o blog “Política para quem precisa” ao destacar o conceito de “dessublimação repressiva”, criado pelo filósofo alemão para explicar:

...como a sociedade atual transforma a sexualidade em mercadoria e com isso cria indivíduos mais dóceis para a dominação. A sublimação é o mecanismo que transfere a pulsão sexual para formas de criação intelectual como a ciência e a arte, tornando possível a civilização e tornando o indivíduo consciente do conflito com o “princípio de realidade” repressivo da sociedade dividida em classes. A dessublimação oferece uma falsa satisfação da pulsão sexual por meio da oferta ilimitada de produtos de consumo os mais variados (inclusive corpos na pornografia), desviando uma energia criativa que seria sublimada, impedindo o desenvolvimento intelectual, neutralizando assim o conflito do indivíduo com a sociedade e encaminhando dessa forma um tipo de repressão mais eficiente, porque disfarçado de “liberdade de escolha”.

Ou seja, se a proposta do parlamentar merece nosso total repúdio, também é preciso denunciar a “libertinagem opressiva” com que a lógica do capital violenta a vida erótica de milhões, diariamente.

Leia também:
Mesmo com 50 tons, cinza ainda é cinza

5 comentários:

  1. Sergio, faltou espaço. Muita coisa, não consegui entender. Primeiro, exatamente do que se trata o projeto do deputado, por que ele se opõe somente a masturbação gratuita, que masturbação é essa? Imagino, mas.. Segundo, como opera controle da masturbação como controle das pessoas. Depois a dessublimação proposta por Marcuse.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, ficou curto o cobertor pra tanta informação. O projeto do tal deputado é um delírio sem sentido, daqueles que os caras fazem pra juntar seu rebanho de reacionários. Mas, na verdade, o central do projeto dele é impedir o acesso gratuito à pornografia porque isso estimularia a masturbação, entre crianças e jovens.

      Quanto ao Marcuse, o que acho essencial no texto é a imposição do "prazer" que o capitalismo atual exerce sobre as pessoas. Na verdade, prazer mercantilizado. Algo que Marcuse já antevia. E, talvez, Debord, com sua sociedade do espetáculo. De qualquer maneira, acho que está bem explicado no próprio blog de onde tirei a citação, que pode ser acessado pelo link que está no texto.

      Excluir
    2. Ok, entendi o projeto do reaca de plantão. Sem comentários. Quanto ao Marcuse achei interessante, mas tive que ler um bocado de vezes para entender através da pequena citação, o que ele trata por sublimação e dessublimação. Valeu! Bjs

      Excluir