sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Crise: muita escuridão à vista

“Aproveitem os Jogos enquanto podem. As perspectivas econômicas indicam que vem aí uma ressaca verdadeiramente mundial”. Esta frase é de Rupert Murdoch, poderoso magnata da mídia inglesa. Foi citada por Alex Callinicos no artigo “A longa depressão vai de mal a pior” publicado no jornal Socialist Worker, em 07/08.

Callinicos também menciona um economista neoliberal estadunidense. É John Taylor, que considera o quadro da economia americana desastroso com fortes tendências a piorar.

Há alguns dias, artigo do economista mexicano Alejandro Nadal trazia o título “Banco JP Morgan, presságio de novo Apocalipse”. Nadal referia-se ao recente anúncio de prejuízos de 2 bilhões do banco estadunidense.

Outro texto nada otimista é do economista Edmilson Costa, membro do Comitê Central do PCB. Trata-se de “A terceira onda da crise: o capitalismo no olho do furacão”, publicado pelo site http://resistir.info. Longo e bem fundamentado, o artigo faz uma análise bastante pertinente.

Basicamente, o autor considera que a crise que começou em 2008 será a mais terrível da história do capitalismo. A mais completa delas porque acontece quando o capitalismo está espalhado e consolidado no mundo todo. Muito mais que nas crises de 1929 e 1973. Em suas palavras, atualmente, as contradições do sistema envolvem:

...todo o arcabouço econômico e social do sistema capitalista – a esfera da produção, da circulação, do crédito, das dívidas públicas e privadas, o sistema social, o meio ambiente e os valores neoliberais.

Tudo indica que tempos anda mais escuros se aproximam. Cabe à luta dos explorados e ofendidos abrir caminho em busca de luz. Pois os senhores do mundo não cessam de produzir trevas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário