quinta-feira, 27 de setembro de 2012

UPP é militarização. Ou você acredita em duende azul?

Os policiais que trabalham nas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) são chamados por seus outros colegas de “smurfs”. Para eles, policial de verdade prende, arrebenta e troca tiros com bandidos. Não veste azul e banca o “amiguinho” dos pobres.

Esta é uma das descobertas relatadas em um estudo coordenado por Ignacio Cano. O sociólogo do Laboratório de Análise da Violência da UERJ deu entrevista a Wilson Tosta para o Estadão, publicada sob o título “No reino dos smurfs”, em 23/09.

Das informações de Cano pode se deduzir o caráter essencialmente militar das UPPs:

O número de policiais militares por habitantes no Rio é hoje de 2,3 para cada mil habitantes, próximo do nível padrão das Nações Unidas, de 3 por mil. Nas UPPs, há 18/19 PMs para cada mil habitantes.

Por isso, diz o estudioso, para repetir a experiência em todas as favelas, seria preciso multiplicar a polícia do Rio por oito ou nove. A PM passaria dos atuais 38 mil integrantes para uns 300 mil. Bem mais que os 200 mil membros do Exército, por exemplo.

O pesquisador destaca a diminuição da violência: "Estamos falando de 400, 500 vidas salvas por ano”, calcula. Por outro lado, admite que onde existem UPPs há menos liberdade que em outros locais da cidade. Incluindo toque de recolher e fortes restrições ao funk, rap e rodas de samba.

Ao mesmo tempo, a ocupação militar vai abrindo espaços para a especulação imobiliária. E se precisar, os "smurfs" não vacilam. Também sabem baixar o cacete. O resto não passa de conversa pra quem acredita em duendes azuis.

Leia também: Fora os militares. Aqui e no Haiti

Nenhum comentário:

Postar um comentário