quarta-feira, 6 de março de 2013

O capitalismo chinês começou com Mao

Em 02/03, José Luís Fiori publicou o artigo “Sobre o desenvolvimento chinês” no site Outras Palavras. O texto ajuda a mostrar o quanto é capitalista o enorme crescimento por que passou a economia chinesa a partir dos anos 1980.

Além disso, mostra como essa expansão começou ainda sob Mao Tse Tung. É o que se deduz quando Fiori afirma que “parece não haver dúvida que o ‘grande salto capitalista’ da China, começou no final da década de 1950, com a ruptura entre o comunismo chinês e o soviético”.

Conflitos pelo controle da região levaram os dois gigantes asiáticos a militarizarem suas fronteiras mútuas, no final dos anos 1960, diz o autor. Até que em 1972, em uma reunião com Richard Nixon, Mao propôs ao presidente americano um acordo para conter os planos de expansão da União Soviética.

Depois disso, diz Fiori:

...o primeiro-ministro Chou en Lai propôs, em 1975, o seu programa das “quatro modernizações” que foram implementadas por Deng Xiaoping, a partir de 1978. Seguindo esta mesma estratégia, o governo de Deng Xiaoping promoveu em 1979 uma invasão preventiva do Vietnã, para impedir a expansão da influência militar soviética na Indochina, com o conhecimento do Japão e com o apoio logístico do governo Jimmy Carter, em Washington.

Se isso não é um acerto típico de potências imperialistas, o que seria?

E o autor conclui: “Para os chineses, o desenvolvimento capitalista é apenas um instrumento a mais de defesa de sua civilização milenar”. O problema é que o ritmo capitalista de destruição limita sua validade a, no máximo, alguns séculos.

Leia também: EUA e China: tranquilidade política, terremotos econômicos

Nenhum comentário:

Postar um comentário