terça-feira, 10 de setembro de 2013

Dez anos de Bolsa Família: parabéns, Banco Mundial!

“Bolsa Família faz dez anos: exame de paternidade aponta petistas, tucanos e neoliberais do Banco Mundial”, diz o título da reportagem da Folha publicada em 08/09.

A matéria conta que, em março de 2003, o PT realizou um seminário sobre as prioridades do governo recém-conquistado. Um dos participantes era o estadunidense David de Ferranti, vice-presidente do Banco Mundial para a América Latina na época.

Os petistas tinham o “Fome Zero” como seu grande trunfo para minimizar a pobreza no País. Ferranti discordou. Propôs:

...a unificação de ações de combate à pobreza em um programa de renda focado apenas nos segmentos mais miseráveis da população, no qual os beneficiários têm liberdade para usar o dinheiro desde que se comprometam com contrapartidas como a frequência escolar dos filhos.

Nascia o “Bolsa Família”, resultado da unificação e ampliação de programas sociais que os tucanos já vinham adotando. Os pais são vários, mas a mãe do programa tão popular é uma instituição criada em 1944 junto com o FMI para defender os interesses do imperialismo americano e europeu.

Uma famosa receita da instituição para o problema da pobreza no mundo é o “gotejamento”. Os pobres ficam com aquilo que pingar dos suculentos lucros das grandes corporações econômicas. Simplificando, migalhas.

O que vem depois combina com isso. Os tucanos gastavam R$ 3,2 bilhões com seus programas. O Bolsa Família chegou a R$ 21,4 bilhões. Mas o programa equivale a 0,5% do PIB Brasileiro, enquanto o pagamento da divida pública leva quase 21 % só em juros e amortizações.

Portanto, desse bolo de aniversário, a maioria pobre continua com as migalhas.

Leia também: Dilma reafirma pacto conservador

3 comentários:

  1. Caro Sergio e leitores

    Envio as referências para o documento que faz a propaganda, em tom de ciência, dessa política. É do ano 2000 e o principal autor é o Ferranti. Tem na internet

    ESTUDIOS DEL BANCO MUNDIAL
    SOBRE AMÉRICA LATINA Y EL CARIBE
    Puntos de vista

    ASEGURANDO EL FUTURO EN UNA ECONOMÍA GLOBALIZADA

    Por
    David de Ferranti
    Guillermo E. Perry
    Indermit S. Gill
    Luis Servén

    con
    Francisco H. G. Ferreira [PUC/RJ]
    Nadeem Ilahi
    William E Maloney
    Martín Rama

    BANCO MUNDIAL
    WASHINCTON, D.C.

    Banco Internacional de Reconstrucción
    y Fomento/BANCO MUNDIAL
    1818 H Street, N.W
    Washington, D.C. 20433, EE.UU.
    Reservados todos los derechos

    ResponderExcluir
  2. Nós é que agradecemos sua coluna e suas "pílulas".
    Abraços

    ResponderExcluir