quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Até quando acerta, Dilma erra

Os jornais destacam o crescimento zero do PIB no terceiro trimestre deste ano em relação aos três meses anteriores. A notícia pode fazer a alegria da oposição de direita. Mas os números confirmam que a decisão do governo de cortar os juros em setembro fazia sentido.

Na época, os neoliberais chiaram. Apesar disso, a previsão de piora da situação econômica mundial estava correta. O problema é que a taxa de juros brasileira continua a ser a maior do mundo. Pagam quase o dobro do que paga o segundo colocado.

O abandono das áreas sociais se consolida. É o caso da recusa em destinar 10% do PIB para a Educação. Ou da redução nas verbas para a Reforma Agrária.

Por outro lado, o governo acaba de conseguir aprovar na Câmara Federal a transferência de novos recursos para o FMI. Medida que obrigará a elevar ainda mais a dívida interna. Aquela que paga os tais juros campeões mundiais.

Ou seja, até quando acerta, o governo Dilma erra. Mantém a trajetória petista de rendição ao essencial do neoliberalismo. Tal como fizeram os governos “socialistas” europeus recém derrotados nas urnas.

Leia também:
Crise econômica e HIV
Guarda-chuva sob céu azul?

Nenhum comentário:

Postar um comentário