quarta-feira, 3 de julho de 2013

O povo não é bobo, já o governo Dilma...

“O povo não é bobo. Fora Rede Globo!” gritam os manifestantes nos protestos que tomaram as ruas do País. E lá fora, também. Em Londres, repórteres da emissora foram impedidos de fazer seu trabalho na cobertura de protestos de apoio às mobilizações no Brasil.

Tal como a violência policial já não consegue disfarçar sua truculência covarde, o jornalismo das organizações Globo é incapaz de esconder sua parcialidade conservadora. Mas se depender do governo federal, a emissora continuará poderosa.

É o que mostram dados coletados por Conceição Lemes em reportagem detalhada para o blog Viomundo. Publicada em 02/07, a matéria traz entrevista com Helena Chagas, ministra da Secretaria de Comunicação Social.

A repórter bem que tentou, mas nem a ministra nem sua equipe entregaram dados exatos sobre o patrocínio oficial destinado à Globo. De qualquer maneira, o que foi possível levantar já é vergonhoso.

Segundo a reportagem, o governo federal é o maior anunciante do Brasil. Em 2012, os recursos destinados à publicidade de ministérios, órgãos e empresas estatais somaram quase R$ 1,8 bilhão. Desse total, pouco mais de 62% foram investidos em televisão. “A Globo, sem contar seus canais pagos, obteve 43,9% das verbas para esse meio”.

A internete é considerada crucial para tentar desbancar os monopólios como o gigante global. Mas ficou em último lugar, com 5,3% das verbas oficiais. Assim mesmo, dos 20 maiores investimentos, os veículos considerados “de esquerda” ficaram com 2,4% do total. Já os tradicionais, engoliram 97,5%.

Se o povo já não é bobo, parece que o mesmo não acontece com o governo petista. Ou será sem vergonhice, mesmo?

Acesse a reportagem aqui.

Leia também: Reforma política e ditadura econômica

Nenhum comentário:

Postar um comentário