segunda-feira, 29 de julho de 2013

Um cineasta negro contra a Ku-Klux-Klan

A absolvição de George Zimmerman no julgamento pelo assassinato do jovem negro Trayvon Martin causa uma onda de protestos nas ruas norte-americanas. O acusado é branco e era segurança voluntário em um bairro da cidade de Sanford, Flórida.

Apesar de serem governados por um negro, os Estados Unidos continuam a mostrar um racismo violento. Na verdade, trata-se de um traço que está no DNA da formação da sociedade ianque. A tal ponto que uma das primeiras grandes produções do cinema estadunidense tem como heróis os encapuzados da Ku-Klux-Klan. Não por acaso, o filme chama-se "O Nascimento de uma Nação", dirigido por D. W. Griffith e lançado em 1915.

Felizmente, havia quem também combatesse o racismo na trincheira cinematográfica. Quatro anos depois do surgimento de "O Nascimento de uma Nação", Oscar Micheaux lançava "Dentro de Nossas Portas". Era a resposta ao filme de Griffith por parte do primeiro cineasta negro dos Estados Unidos.

Produzido, escrito e dirigido por Micheaux, o filme mostra a violência contra os negros como produto da intolerância racial da violenta e covarde “supremacia branca”. Outra realização de Micheaux é "O Exílio", de 1931, primeiro longa-metragem sonoro realizado por um afro-americano.

A boa notícia é que 27 produções de Micheaux estão sendo exibidas na mostra “O Cinema Negro e a Segregação Racial”, promovida pelo Centro Cultural Banco do Brasil. As exibições começaram no dia 24/07, em São Paulo, e serão levadas ao Rio e Brasília. Mas alguns dos filmes de Micheaux podem ser encontrados no Youtube.

Nenhum comentário:

Postar um comentário