terça-feira, 7 de julho de 2015

O PT nos tribunais

Em 03/07, na Folha, Monica Bergamo publicou um balanço sobre a situação de Dilma no Tribunal Superior Eleitoral, caso sejam julgadas as contas de sua campanha devido a denúncias da Lava-Jato.

“Na conta do PT, diz Monica, dos sete ministros do tribunal, três tendem a votar contra o governo”. Entre eles, Dias Toffoli, ex-advogado do partido. Outros três votariam a favor. O desempate ficaria com Luiz Fux, também indicado pelos petistas. O problema é que Fux votou pela condenação dos réus do “mensalão”.

Falando em “mensalão”, seria importante lembrar que oito dos onze juízes do Supremo que condenaram os réus foram indicados pelos governos petistas.

Aos que consideram tudo isso uma prova da “independência das instituições” convém recordar o arquivamento do “mensalão” tucano ou a Operação Zelotes, cada vez mais esquecida.

Já aos petistas que esperam que os movimentos sociais saiam em defesa de seu governo, estão reservadas outras lembranças. A começar pelo Decreto Presidencial publicado por Lula em 2004, que criou a Força Nacional de Segurança Pública (FNSP).

Foram essas tropas que, em junho de 2007, auxiliaram a polícia do Rio de Janeiro no chamado “Massacre da favela do Alemão”, que deixou, pelo menos, 19 mortos. Desde então, a FNSP só vem confirmando seu papel de braço armado do Executivo Federal na repressão às manifestações e aos movimentos sociais.

O PT enganou-se pensando que a indicação de juízes o autorizava a imitar os crimes da classe dominante. Acertou ao apostar que pelos crimes que cometeu contra as lutas populares não será julgado pela justiça burguesa. Mas não escapará da condenação dos tribunais da História.

Leia também:
O PT no lado escuro

3 comentários:

  1. Lindo texto,o que espera o PT e a burguesia é outra justiça.
    Estive pensando nas pílulas estes dias em relação a baixa ou quase inexistência de comentários. Em uma internete tão postada e comentada com tanta besteira, me causa estranheza as pílulas não terem comentários. Cheguei até a pensar que a profundidade poderia ser o motivo, mas acredito que o público leitor da pílulas não se "incomoda" com isso. Preguiça? Também acho que não é o caso dos leitores. Profusão? Não, também não.
    Penso que o bacana das pílulas seria justamente a intervenção que faz com a participação dos leitores nos comentários. Um ping-pong. Isso, acho que o problema é de ritmo. Vamos lá: Serginho saca uma bola difícil com muito efeito; Mario consegue rebater mas ela sobe muito e fica fácil. Quem vai devolver ou cortar?

    ResponderExcluir
  2. Marião, também acho estranho, mas já desencanei. São mais de 1.200 posts desde 2010, e tem só uns 600 comentários registrados. A maioria é de uns 4 ou 5, como você, meu irmão e alguns amigos que já conhecia antes de ter o blog. Alguns costumam só comentar por e-mail e outros comentam no facebook, mas mesmo assim não são muitos. Pode ser que quem leia (a média de visitas por dia útil é umas 115) concorde no geral e acabe nem comentando, o que acho ruim. Seria bom, o tal "ping-pong" que você falou. As exceções realmente discordantes são poucas. Às vezes, encontro alguém no trabalho ou em espaços de militância que fala "Olha, recebo suas pílulas, viu? Legal etc ". Mas são raros e não dão retorno na blogosfera. E também são da nossa idade, pouco acostumados a interagir pela net.
    Uma coisa que notei é que no seu blog tem mais comentários, certo? Seus textos são mais pessoais, "confessionais" como costumam dizer. Talvez, esse tom deixe as pessoas mais à vontade para comentar. Mas tendo algum retorno como o seu e de mais gente cuja opinião respeito muito, tá bom.
    Valeu o comentário.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não acho que é para encanar. Para mim é pura curiosidade intelectual, a gente sempre quer entender o sentido das coisas.
      Não tinha os números que me passou. Isso eu estava querendo para saber a proporção.
      Sobre seus blogs normalmente concordo, e mesmo assim escrevo quando gosto, ou o texto só me traz informação e não me inspira comentar. Lembro só uma vez ter discordado e chegamos até um ponto do "ping-pong" que você parou. Mas se não tivesse parado eu pararia porque acho que já tínhamos chegado a bons termos no debate.
      Acho que uma explicação é essa de uma certa militância não acostumada a intervir na net. Maria Lucia, por exemplo, nem acessa internete.
      Os meus textos tem mais comentários só comparando proporcionalmente. Dos 20 que leem os meus textos, uns 2 ou 3 comentam. Também pode ser essa pessoalidade o motivo, fica mais fácil comentar. As pílulas, apesar de curtas, sugerem um nível de debate com mais densidade e profundidade. Só uns ousados como eu, topam.
      Lembro de dois bons debates nos seus blogs. Um acho que foi mesmo na Pílula sobre o Charlie, e outro antigo sobre os quadrinhos em que a pessoa argumentava muito bem a importância dos quadrinhos da Turma da Monica.
      Bem, vamos aí debatendo que é muito bom.
      Bjs,
      Mario

      Excluir