3 de outubro de 2017

A Internacional Comunista na época de Lênin

John Riddell é um historiador canadense socialista e editor de uma série de livros sobre a Internacional Comunista na época de Lênin.

É dele o interessante artigo “Party democracy in Lenin’s Comintern – and now” (“Democracia partidária na Internacional Comunista de Lênin - e agora”), ainda sem tradução.

O texto descreve “como os partidos comunistas lidavam com questões de disciplina interna e democracia no tempo de Lênin”. A título de introdução ao tema, um trecho:

Os partidos nos países imperialistas tinham dezenas ou centenas de milhares de membros. Eles também tinham uma ampla periferia de simpatizantes, muitos dos quais trabalharam com membros do partido em questões específicas, como ajuda à Rússia soviética, emancipação das mulheres ou oposição ao colonialismo. O partido funcionou em estreito contato com uma ampla camada de trabalhadores revolucionários. O partido e sua periferia exerceram influência em toda a classe trabalhadora.

Os partidos comunistas do tempo de Lênin incluíam um amplo espectro de tradições socialistas revolucionárias. Os membros do partido tinham diversas origens, provenientes de organizações socialdemocratas, sindicalistas ou revolucionárias-nacionalistas.

Os debates internos da Internacional se concentraram em questões de tática e estratégia e seu significado político para a ampla massa de trabalhadores, sobre as quais suas ações tinham um grande impacto. Os debates em seus partidos, em geral, refletiam a diferenciação social e opiniões contrastantes dentro da classe trabalhadora como um todo.

Ao contrário do que grande parte da esquerda pensa, ainda há muito o que aprender com as experiências partidárias dos tempos de Lênin. Desde que, é claro, não se tente simplesmente imitá-las ou reproduzi-las.

Nenhum comentário:

Postar um comentário