30 de outubro de 2017

Os exércitos verdes na Guerra Civil Russa

Mais informações do livro “História da Guerra Civil Russa 1917 – 1922”, de Jean-Jacques Marie.

É comum lembrar que a guerra civil russa opôs os exércitos vermelhos, revolucionários, aos brancos, contrarrevolucionários.

Mas havia também os exércitos verdes, formados por camponeses movidos por uma dupla rejeição. Contra o alistamento forçado e contra as requisições de suas colheitas para alimentar o exército e as cidades. Segundo Jean-Jacques:

Alguns desses exércitos, ainda que preocupados com sua autonomia, integraram por um período o Exército Vermelho antes de romper e se opor a ele: foi o que aconteceu, em especial, com as tropas dos ucranianos Makhno, Grigoriev, Zeliony e Grebionka. Desses Exércitos Verdes, somente o de Makhno, que se dizia anarquista, permaneceu na memória.

O sumiço dessas forças da história deve-se principalmente a Stálin, que depois de assumir o poder no Partido Bolchevique:

...apagou a existência dos Verdes em um relato da guerra civil manipulado e maniqueísta, sem nuances. Além disso, definiu Trotsky e a maioria dos comandantes do Exército Vermelho (...) como os melhores aliados dos Brancos, ao passo que, na verdade, eles os haviam combatido e vencido.

Uma vitória baseada no seguinte:

O destino da guerra civil será, afinal, decidido pela política: os camponeses distinguiam os bolcheviques, que lhes haviam dado terra, dos comunistas, que tomavam suas colheitas; eles se insurgiam regularmente contra estes e suas requisições de víveres, mas, no fim das contas, garantiram a derrota dos Brancos, vistos como a fachada dos proprietários de terras e dos generais czaristas. Os Verdes, por outro lado, só propunham revoltas locais e saques, até mesmo bebedeiras, sem nenhum projeto político nacional...

Leia também: A inteligência bolchevique na Guerra Civil Russa

Nenhum comentário:

Postar um comentário