terça-feira, 4 de outubro de 2016

A maior derrota da Guerra Civil Espanhola

Há 80 anos, começava a Guerra Civil Espanhola. Ao lado dos fascistas, Hitler e Mussolini. Do lado republicano, o apoio tímido de alguns governos ocidentais e um pouco mais animado dos soviéticos.

Uma boa dica para entender esse cenário é “Lutando na Espanha”, livro de George Orwell, que lutou ao lado dos republicanos. Em Barcelona, ele registrou o seguinte cenário:

Os garçons e lojistas encaravam as pessoas frente a frente e tratavam os fregueses como seus iguais. As formas servis e cerimoniosas de tratamento desapareceram temporariamente, e ninguém dizia mais "Señor", ou "Don", ou mesmo "Usted", e todos se chamavam "Camarada" e "Tu", dizendo "Salud!", ao invés de "Buenos dias". Dar gorjetas era proibido por lei, e uma de minhas primeiras experiências ao chegar fora receber uma bronca do gerente de hotel, por querer dar gorjeta ao ascensorista.

Além disso, no exército, diz ele, a hierarquia praticamente havia desaparecido, de modo que “quando se dava uma ordem, dava-se como um camarada a outro, e não como superior ao inferior”.

O problema é que este espírito libertário começou a incomodar os governos envolvidos. Inclusive o soviético, àquela altura tomado pelo autoritarismo stalinista.

É por isso que Orwell explica o desfecho da guerra do seguinte modo:

Os nazistas e italianos deram armas a seus amigos fascistas espanhóis, e as democracias ocidentais e os russos não as deram (...). Foi assim que a República espanhola caiu...

O fato é que as potências antifascistas preferiram correr o risco de uma vitória fascista a fortalecer o exemplo dado pelos milhares de mulheres e homens que lutavam por liberdade na Espanha.

Leia também: Em busca de luz na Guerra Civil Espanhola

2 comentários:

  1. Buscava-se uma Sociedade realmente Socialista, más que Libertaria. Fato que incomodava aos Capitalistas e aos Stalinistas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, usei o termo libertário para também incluir os anarquistas como defensores de um socialismo não autoritário.
      Obrigado pelo comentério

      Excluir