quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Inglaterra e Chile colhem tempestade

Vale a pena assistir ao “Entrevista Record Mundo”, exibido em 15/08. O programa abordou os protestos no Chile e na Inglaterra. Rodrigo Vianna entrevistou o cientista político e jornalista Igor Fuser e Plínio de Arruda Sampaio, que foi candidato à presidência da República pelo PSOL, em 2010.

Plínio mostrou-se animado com a reação popular na Inglaterra e no Chile. Disse que são resultado de 30 anos de neoliberalismo. E que o caminho é este mesmo. Tomar as ruas. Por outro lado, alertou para os perigos de que os conflitos sociais sejam usados pela direita. Lembrou a situação dos anos 1930. Na esteira da crise econômica de 1929, o fascismo soube usar a revolta popular para seus objetivos.

As manifestações e protestos de um lado e outro têm muitas diferenças. No Chile, são organizados e têm propostas claras. Na Inglaterra, parecem muito mais espontâneos e alimentados por uma revolta justa, mas ainda sem alvo definido. No entanto, Igor Fuser chamou a atenção para um fato em comum entre chilenos e ingleses.

Os dois povos foram os primeiros a sofrer a ação das medidas neoliberais. Margareth Thatcher de um lado, Pinochet, de outro. Uma democracia parlamentarista e uma ditadura sanguinária. Ambos os regimes igualmente colocados a serviço do grande capital e da especulação financeira.

Semearam os ventos com sua peste, estão colhendo a tempestade.

Veja o programa, clicando aqui

Leia também: Diplomados e conectados, uni-vos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário