segunda-feira, 28 de novembro de 2011

O parasitismo alemão está matando seus hospedeiros

Um leilão de títulos de dívida da Alemanha na semana passada teve o pior resultado desde a introdução do euro. Trata-se de dos papéis mais confiáveis do mundo. Mesmo assim, quase 35% deles não conseguiram ser vendidos.

Os especialistas dizem que está acontecendo o seguinte: a maior parte da Europa está falida. Se a zona européia continuar, a Alemanha é que vai ter que pagar a conta. E seus papéis vão se tornar investimento arriscado. Se a Alemanha largar o euro, seus papéis também já não vão valer grande coisa.

Os neoliberais não sabem bem como explicar. Não é tão difícil. A economia alemã é a mais saudável da região, dizem eles. Sem dívidas e desequilíbrios. Mas isso só foi possível porque ela vem parasitando as outras economias desde que a zona do Euro foi criada.

O problema é que ao mesmo tempo em que suga seus hospedeiros, ela os mata. Não é só a Grécia e Portugal, mas Itália, Espanha e até França. Na verdade, é a lógica capitalista em pleno funcionamento.

Enquanto isso, dados fracos vindos dos Estados Unidos e da China alimentam temores sobre a possibilidade de uma recessão global. É o metabolismo catastrófico do capitalismo.

Leia também: O euro criou um terceiro mundo na Europa

Nenhum comentário:

Postar um comentário