sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Padrão Fifa? De jeito nenhum

“Jogadores negros podem boicotar Copa do Mundo na Rússia”. A proposta é do jogador da Costa do Marfim, Yaya Touré, que atua no Manchester City. Ele e muitos outros atletas negros vêm sendo vítima do racismo nos estádios europeus. Por isso, ameaçam com o boicote caso a Fifa não tome providências.

A Fifa lançou uma campanha contra o racismo. Mais publicidade que outra coisa. O presidente da entidade, Joseph Blatter, costuma dizer que ofensas raciais dentro do campo não devem ser levadas a sério. "Depois tudo se acerta após o jogo, com um aperto de mãos", afirmou certa vez.

O fato é que a Fifa age como uma organização criminosa. E não só em relação ao preconceito racial. A corrupção e o apoio a ditaduras também são sua especialidade.

Um dos episódios mais vergonhosos da história da entidade aconteceu durante as eliminatórias para a Copa de 1974. As seleções chilena e soviética deveriam se enfrentar no Estádio Nacional de Santiago. Cerca de um mês antes do jogo, Pinochet havia derrubado Allende e instalado uma ditadura. O estádio chileno foi utilizado como prisão, onde ocorreram torturas e execuções de milhares de pessoas.

Diante disso, a seleção soviética informou que não participaria do jogo. A nota emitida pelos soviéticos dizia: “por considerações morais, os atletas soviéticos não podem neste momento jogar no estádio de Santiago, salpicado com o sangue dos patriotas chilenos…”. A Fifa ignorou tudo isso e validou a classificação da seleção chilena.

Vamos sediar a próxima Copa. Mas se depender de corrupção, racismo e repressão nossas autoridades já adotaram o padrão Fifa há muito tempo.

Leia também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário