quarta-feira, 21 de junho de 2017

Nova crise mundial pode arrastar até a China

“A bolha está se formando e, quando estourar, será o pior ‘crash’ da minha vida”, este título da matéria publicada no InfoMoney em 12/06, utiliza palavras de Jim Rogers.

Rogers é um respeitado investidor, responsável por ganhos bilionários no mercado financeiro. Para ele, “algumas ações dos Estados Unidos estão entrando em uma bolha e, quando estourar, as bolsas vão desabar”.

“Nos EUA, uma nova bolha imobiliária ameaça criar outra crise”, diz reportagem de Carlos Drummond, publicada por CartaCapital em 20/06

Segundo o artigo, os mesmos sinais da iminência da quebradeira de 2008, “ressurgiram e já se desenha a ameaça de uma reedição ainda mais destrutiva”:

Os preços dos imóveis ultrapassaram o ápice de nove anos atrás, os financiamentos estudantis e a dívida com cartões de crédito aumentaram de modo preocupante e a cotação das ações atingiu novos recordes históricos.

O texto cita Michael Hudson, professor da Universidade do Missouri e autor de livros sobre as bolhas de ativos e o parasitismo financeiro. Segundo ele, muitos economistas veem no aumento da procura de crédito um sinal de retomada econômica.

Mas, diz Hudson,”as pessoas não estão tomando mais empréstimos por se sentirem otimistas quanto à economia, mas por não conseguirem equilibrar as contas e pagar sua habitação e sua educação sem se endividar ainda mais”.

A crise de 2008 só não foi pior graças à economia chinesa. Mas agora, diz Rogers, os chineses também têm dívidas e a “dívida é muito maior (...). Vai ser o pior crash da sua vida - da minha também. Preocupe-se".

E nós, aqui, com a dupla Meirelles/Temer no comando do País. Danou-se!

Nenhum comentário:

Postar um comentário