quinta-feira, 7 de julho de 2011

Uma sugestão para Tarantino

Em seu blog, Marcos Rolim traz o seguinte relato:
Dom Luiz Gonzaga Bergonzini, bispo de Guarulhos, afirmou em entrevista recente que “não há verdadeiramente mulheres vítimas de estupro já que, em alguma medida, elas sempre consentem com o ato”. Para mostrar às mulheres que não devem abortar por conta do estupro, o Bispo usa em seu confessionário a “técnica da caneta”. Pega a tampa da caneta e solicita que a mulher enfie o cilindro na tampa. Então, movimenta a tampa impedindo o encaixe. Para ele, “uma mulher que não consente com o ato sexual resiste ao encaixe do cilindro na tampa da caneta”. Ao serem confrontadas com a “técnica da caneta”, as mulheres desistiriam do aborto, pois o estupro seria uma “mentira”.
Que tal usar os elementos acima para imaginar uma cena típica dos filmes de Quentin Tarantino?

Seria assim: a mulher submetida à didática demonstração do bispo agarraria o pulso do ilustre prelado, enterraria a caneta em sua mão e rasgaria. Talvez, desse modo, a reverendíssima autoridade tivesse uma idéia aproximada do que é um estupro.

Leia também: Às companheiras do século 19

4 comentários:

  1. No pulso... podia ser no olho! (x2)

    ResponderExcluir
  2. Bom, era na mão. Mas, no pulso é melhor. No olho, então...O problema é que não tenho o talento do Tarantino.

    ResponderExcluir
  3. Eu juro que tinha imaginado essa cena... É o mínimo que uma dessas moça pode fazer com esse bispo perverso.
    Abraços,
    Marcella.

    ResponderExcluir