quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Você é contra a legalização dos cachorros?



Está disponível na internete o vídeo de uma palestra feita pelo professor Sidarta Ribeiro na Conferência Neurociências e Psicanálise, em 2011. 

Nela o neurobiólogo e diretor do Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte defende a legalização da maconha.


Ribeiro começa por afirmar que a maconha está para as plantas como o cachorro para os animais. Ambas são espécies moldadas por nossos ancestrais ao longo de milhares de anos, com muitas variações e diferentes utilidades.

Sidarta destaca os efeitos medicinais dos canabinoides. Eles são inegáveis e admitidos por muitos proibicionistas. Mas não adianta aceitar a utilização terapêutica das substâncias da maconha e não o uso da planta. Seria como confiar na cesariana e duvidar do parto natural, diz ele.


Mortes causadas por consumo de maconha praticamente inexistem. Já a ingestão de álcool e o uso de tabaco e de remédios à venda nas farmácias se mostram muito mais letais. Pessoas morrem não por causa da maconha em si, mas por seu comércio ilegal.


Claro que a erva pode causar problemas graves de saúde para quem é vulnerável a algumas de suas substâncias. Mas o mesmo acontece em relação à lactose, por exemplo. Nem por isso, o consumo de leite foi proibido, compara Ribeiro.


Ao contrário de manter na clandestinidade um consumo que não vai parar, é preciso legalizá-lo. Tal como já acontece com o álcool e o tabaco, substâncias perigosas, mas regulamentadas por órgãos da Saúde Pública. As outras drogas também devem sair da ilegalidade para que possam ter seu comércio fiscalizado.


“Ou você é contra a legalização de cachorros?”, pergunta Sidarta.

Assista ao vídeo, clicando aqui


Nenhum comentário:

Postar um comentário